Escrever é um prazer! Que tal com um blog?

Texto fugindo do padrão. Que tal criar um blog do zero para colocar para fora o que tens aí dentro?

Escrever é um prazer sem tamanho. É um dos lugares onde consigo me expressar que me dá uma gama incrível de possibilidades. É terapia. É transmitir o que penso. É aprender. É transcender os limites da vida. Posso dizer que, junto aos pães que fiz ao longo dos quase dois anos de pandemia, os escritos aqui no blog me mantiveram são e ativo. Eu realmente recomendo que todo mundo faça algum tipo de escrita, seja para se aprimorar com a versatilidade da língua, desabafar, colocar para fora o que sente aí dentro. E há tantas maneiras de se expressar! Por prosa, histórias, poemas, em textos como este e tantas outras maneiras.

E o formato de blog? Eu o adotei há tanto tempo que se eu dissesse o que exatamente me motivou lá atrás, provavelmente faltaria com a verdade em algum ponto. Mas digo que hoje tem dois grandes motivos, além dos que citei anteriormente. O primeiro é poder me expressar livre e publicamente. Colocar minhas ideias abertas é algo que me faz refletir antes, durante a escrita e depois da publicação, além da possibilidade de realizar as conexões entre os diversos textos, mesmo com anos de distância entre eles - e conferir minha evolução ao longo do tempo. Outra razão é a liberdade de explorar formatos, assuntos, me atualizar, me corrigir e fazer cada vez melhor.

Em razão disso e por pedido do meu querido Newton Mota, resolvi descrever o processo de levantar um blog. Embora o Newton seja versado em desenvolvimento e tecnologia vou tentar fazer algo inclusivo. A ideia é que qualquer pessoa, com qualquer nível de conhecimento, seja capaz de criar seu blog, de graça. Como premissa deve ser leve, simples, não depender de código e que seja expansível sem que seja necessário desembolsar nada a mais. Infelizmente as ferramentas que estou utilizando estão no idioma inglês, o que pode ser uma barreira; tentei fazer um passo a passo com tudo o que será necessário e os principais textos que precisará clicar ou prestar atenção.

Serviços utilizados

Nossa receita usa 3 serviços conhecidos na internet:

  • Netlify: que vai ser a “hospedagem” do nosso blog
  • Forestry: interface para edição dos textos
  • GitHub: onde vamos “guardar” os arquivos

Aconselho que conheça mais sobre cada um deles para sentir mais segurança.

GitHub

Vamos começar criando uma conta no GitHub, que é o maior serviço de compartilhamento de código para desenvolvedores, atualmente parte da Microsoft. Você não vai precisar conhecer programação, nem editar código. Se já tem conta lá, basta ir para a configuração do forestry.

Acesse github.com/signup. Insira seu email (Enter your email), depois escolha uma senha segura (Create a password), crie um nome de usuário (Enter a username) e escolha se quer receber emails de atualizações e anúncios (insira apenas a letra n caso não queira) e, por último, haverá um teste de captcha (para evitar robôs, Verify your account). Esse formulário é apresentado de campo em campo, bastando clicar em Continue para avançar.

Depois o GitHub vai te mandar um email com um código para validar sua nova conta e você deve inseri-lo na próxima tela. Na sequência será apresentada uma tela para customização da experiência (Welcome to GitHub) a qual você pode pular clicando em Skip personalization. Pronto, conta no GitHub criada!

Forestry

Este serviço permite que você gerencie o conteúdo de sites construídos com a tecnologia que estamos utilizando neste tutorial. A ideia é te dar uma interface de administração de tudo o que vai escrever no seu novo blog. Este post está sendo escrito nele.

Vamos começar indo até a página de seleção de templates. Eu sugiro que inicie com o tema Novela, que é um dos mais simples e customizáveis. clique na seta no quadrado dele, então em Hugo.

Na próxima tela você iniciará o processo de importação do seu tema para o Forestry. Como acabamos de criar a conta no GitHub, provavelmente você ainda estará conectado lá. No fim da página, em Git provider (1/2), clique em GitHub. Será apresentado uma janela para autorização do Forestry no GitHub, então clique em Authorize forestryio. Voltando para a tela Create a Site, agora você deve escolher onde, na sua conta do GitHub, vai guardar o blog. Em Repository name (2/2), selecione seu nome de usuário do GitHub na caixa da esquerda e no campo da direita insira somente blog.

Haverá uma próxima tela para personalização. Lembre-se somente de selecionar Hugo em What kinds of sites do you plan to build with Forestry? Então você pode clicar em Complete registration. Pronto, sua configuração inicial está feita. Navegue no menu, entenda onde está cada coisa. Dê uma olhada em Posts e Authors: já estarão preenchidos com alguns posts e autores de exemplo. Crie um author para você e um post de base. Familiarize-se com a ferramenta e depois exclua os outros posts e autores. Aqui tudo que você inicia é um rascunho (Draft) por padrão. Se quiser que seu post se torne público, basta alterar a chave Draft no topo, de on para off.

Se você seguiu os passos até aqui, o conteúdo do seu blog está público no GitHub. Pode ser que esta seja sua intenção e tudo bem caso seja de seu interesse. Mas sugiro deixá-lo privado, pois na evolução dele você pode inserir informações sensíveis e que não devem estar expostas. Para acessar repositórios privados o Forestry precisa de uma nova autorização: vá em Settings, Repository e clique em Not connected to private repos. Click here to grant access. Agora clique em Test Connection para abrir novamente a tela de autorização do GitHub onde clicará novamente em Authorize forestryio. Agora vá para o GitHub e selecione o repositório do seu blog na barra da direita, então em Settings. Vá até o final da página em Danger Zone (não se preocupe) e clique em Change visibility. Por ser uma alteração sensível, confirme a alteração selecionando Make private e inserindo o nome do repositório ({usuáriogithub}/blog) no campo logo abaixo e clicar em I understand, change repository visibility.

Netlify

Até agora temos onde guardar e onde editar nosso conteúdo, mas ainda não está disponível para o público. O GitHub tem uma funcionalidade para publicar páginas diretamente dele, mas acredito que isso não seja tão intuitivo para pessoas de fora da área de tecnologia. O Netlify supre o cenário de poder usar (quase) qualquer motor de conteúdo estático e publicar de maneira automática, primando pela performance.

Para avançarmos, vá até a página de cadastro do Netlify e clique no botão do GitHub. Será exibida a tela de autorização do GitHub novamente, mas agora para o Netlify: clique em Authorize netlify. Na próxima tela, a famosa de personalização para cadastro, você pode ir direto para o final, inserir o nome para seu “time” (maneira de organizar suas coisas lá) em Name your team e clicar em Set up and continue. Na próxima tela ,Deploy your first project, clique em Import from git.

Agora vamos configurar o repositório no Netlify. Em Connect to Git provider, clique em GitHub. A (recorrente) tela de autorização do GitHub vai aparecer, clique em Authorize netlify. Desta vez você precisará escolher o repositório na tela Install Netlify: selecione Only selected repositories, então escolha o seu repositório ({usuáriogithub}/blog) no campo que vai aparecer e então clique em Install no fim da página (para autorizar somente o repositório do blog). Depois selecione o repositório em Pick a repository from GitHub no passo 2/3. Em Site settings for {usuáriogithub} confira se aparece master ou main em Branch to deploy e clique em Deploy site.

Agora você estará no painel de controle do Netlify. Se tudo correu como esperado, seu site já estará publicado no endereço https://<alguma coisa>.netlify.app. O endereço é exibido no topo do painel. Seu blog já está no ar!

Agora você pode configurar um domínio (o endereço que você usa para acessar o site, como google.com ou casimiro.pro). Você pode editar o <alguma coisa> para algo mais amigável em Site Settings, então Domains e em Options ao lado do nome atual do site, usando a opção Edit site name.

Parabéns! Já está tudo online e pronto para ser acessado! E com HTTPS que, muito resumidamente, significa que seu site é considerado seguro na internet. Assim que desligar o modo Draft no forestry, pode demorar até cinco minutos para que a atualização fique online - as vezes é quase instantâneo.

Próximos passos

Acho que o primeiro ponto que qualquer pessoa possa pensar é “como faz para ter o endereço .com.br ou .pt?. Bem, aqui não tem almoço grátis e você precisa adquirir um domínio, o que normalmente é cobrado por ano e varia de acordo com o tamanho, disponibilidade e terminação. O caminho mais fácil é pelo próprio Netlify, pela área de domínios; a vantagem aqui é que a configuração é feita pela própria plataforma. Você pode usar sites como o registro.br ou o Google Domains para adquirir seu domínio e configurar manualmente, o que pode não ser tão fácil para todo mundo; nesse caso você pode conseguir os mais variados nomes, pagando em sua moeda local. Fica a seu critério.

Crie sua rotina para escrever: escolha um lugar no qual sinta-se à vontade, com tempo para deixar as ideias fluírem. Não se preocupe em escrever de cara o texto mais interessante da sua vida. Apenas escreva. Se estiver preocupado com ortografia, gramática ou qualquer coisa assim, recomendo que utilize a extensão Editor da Microsoft (Edge, Chrome) que te ajudará muito.

Tenha também algum lugar para anotar possíveis ideias de texto quando não estiver escrevendo. Pode ser um caderno (meu caso), um aplicativo de tarefas, um post no próprio blog como draft ou o que preferir. Acredite, quando estiver sem ideias e com dificuldade de lembrar aquela frase da semana anterior que daria um bom texto, fará falta.

Uma dica bem importante: imagens de capa. Elas dão todo um charme ao seu texto e, dependendo do seu estilo, ajudará a expressar melhor a ideia e mesmo sua personalidade. Para tal utilize galerias de imagens de direito livre, como o Unsplash ou Pexels. Nunca utilize uma imagem diretamente de uma pesquisa do google sem saber se há direitos autorais relacionados. Você pode responder por um processo jurídico por uso indevido e ninguém quer esse tipo de dor de cabeça.

Ah, você não gostou do tema Novela? Como estamos usando o Hugo como motor, você tem diversos temas ao seu dispor, prontos para o uso em sua galeria de temas. Clicando em um deles há informações de como instalar e customizá-lo. Eu uso o tema Stack aqui, por exemplo. Pode requerer um pouco de conhecimento técnico - o que pode ser uma oportunidade para se aprofundar no tema, que tal?

Por último, e mais importante: faça quando você quiser, como quiser, se quiser. No seu tempo, no seu espaço, do seu jeito. Não se cobre para escrever, o resultado não será nada bom. Vá se acostumando, descobrindo o seu jeito de escrever, encontrando os temas e/ou estilos que mais combinam contigo e deixe fluir.


Este texto é o primeiro de três fora do contexto que tenho escrito nos últimos dois anos. Em 2022 darei foco em alguns temas importantes para mim e gostaria de fazer estes que estão na minha lista há um tempo.

Mas me conta, conseguiu colocar seu blog no ar? De alguma maneira colaborei para que escrevesse? Já tem um e aprecia meu conteúdo? Comenta aqui ou me marca no Instagram ou Linkedin. Terei grande prazer em compartilhar :)

Licensed under CC BY-NC-SA 4.0
Última atualização em Dec 05, 2021 20:35 UTC
Criado com Hugo
Tema Stack desenvolvido por Jimmy